Weby shortcut
instagram link
Youtube-play
Flickr
mesa redonda

Debate sobre Arte Digital reúne pesquisadores e profissionais no Media Lab

Evento apresentou dados do levantamento do OBEC, além de promover debate e apresentação de cases

Texto e fotos: Júlia Mariano (Media Lab/UFG)

Na noite de 25 de julho, o Media Lab recebeu pesquisadores para debaterem sobre Arte Digital, uma das 19 áreas mapeadas pelo Observatório de Economia Criativa de Goiás (Obec-GO) e que compõe a Coleção Dimensões, disponível na plataforma Bitbooks na PlayStore (faça o download aqui), lançada no início do mês de julho. O evento inaugurou uma série de encontros que serão realizados ao longo do ano de 2016 para apresentar e discutir áreas da economia criativa.

Durante o encontro foi apresentada a cadeia produtiva da Arte Digital, que segundo definição do Ministério da Cultura (MinC) é a manifestação artística através do ambiente gráfico computacional e que tem por principio a construção da arte a partir de processos digitais, com utilização de softwares e hardwares especiais. As pesquisadoras do Observatório apontaram dados de fornecimento da área, como insumos, serviços e financiamentos, além de números das atividades e ocupações na área, como quantitativo de empresas, empregados em cada ocupação e a média salarial declarada. Segundo o levantamento, Goiás possui 295 empresas que empregam 2517 profissionais que trabalham com arte digital.

Isabella Szabor, Laise Barbosa, Danielle do Carmo e Eloá Ribeiro apontaram que a Arte Digital ainda é um setor novo, não consolidado, o que afeta a mensuração dos dados, pois alguns cargos e funções ainda não estão bem definidos. Elas ainda indicaram as instituições financeiras privadas como as principais fontes de fomento na área por meio do marketing cultural.

A equipe de pesquisadoras destacou o Media Lab como principal laboratório da área no estado e o Simpósio Internacional de Inovação em Mídias Interativas (SIIMI) como um evento de destaque.

OBEc arte digital

Equipe do Obec-GO apresenta ao público dados do levantamento disponível na Coleção Dimensões

Hugo Tannus e Thayrone de Jesus, do Gamelab (laboratório do Media Lab/UFG) apresentaram O Truco Metal, um simulador multi-telas temático do popular jogo de cartas. As regras são as mesmas do Truco tradicional, mas as cartas, os efeitos sonoros e algumas jogadas são customizadas em torno de ícones do rock metal. O game totalmente elaborado pela equipe do Gamelab foi apresentado no GameGig, festival dedicado a jogos independentes, ocorrido no 21º Goiânia Noise, em 2015.

Truco

Truco Metal está disponível no Media Lab para usuários que queiram conhecer o game

João Bertolino, programador da Funbites Game Studio mostrou um game produzido pelo grupo de desenvolvedores independente de jogos, o Pizza Mania, e relatou o processo de aperfeiçoamento do game que desafia o jogador a preparar receitas de pizzas para deixar os clientes satisfeitos. Ele apontou como maior desafio o alcance dos clientes. Segundo ele, a falta de planejamento prejudica a divulgação do game, mas atentos ao mercado, os desenvolvedores criaram o jogo na língua inglesa, já que os EUA é o país onde se paga mais por publicidade.

PIzza mania

Análise do Pizza Mania apontou processo de aperfeiçoamento do game durante 3 anos

Presente na mesa-redonda que sucedeu a apresentação dos games, Guilherme Martins apontou como um grande desafio dos profissionais que querem trabalhar com arte digital a escolha do foco. Mesmo acreditando que o fomento seja um grande empecilho, ele sugeriu aos iniciantes que trabalhem como profissionais independentes, aproveitando a oportunidade para construir um bom portifólio. “Quem se destaca, assume espaço no mercado”, assegurou.

Mesa redonda arte digital

Debatedores apontam oportunidades e ameaças na área da Arte Digital

A professora do programa de pós-graduação da Universidade Anhembi Morumbi, Agda Carvalho apontou a necessidade de um olhar ampliado dos profissionais para perceber novos espaços de atuação na arte digital.

O coordenador do Obec e do Media Lab UFG, professor Cleomar Rocha, apontou a carência de consolidação na área em Goiás como um dos desafios a serem superados na Arte Digital. Segundo ele, diversas áreas do conhecimento poderiam abarcar a formação profissional e acadêmica voltada para a arte digital, mas ainda não fazem isso.  “O mapeamento realizado pelo Obec torna visível as novas possibilidades de atuação nessa área, que possui um mercado amplo e em expansão, maior, por exemplo do que o cinematográfico”, garantiu. Ele elogiou o diálogo tranquilo e profícuo que tem encontrado na Universidade Federal de Goiás, por meio do Media Lab, onde vários trabalhos de TCCs, mestrados e doutorados têm sido desenvolvidos em diversas Unidades, em parceria com o Media Lab. 

Categorias: Notícias destaque